Notícias

Comércio

Confiança do comércio aumenta e vendas de Natal deverão crescer após três anos

Brasil Econômico

Comércio

Confiança do comércio aumenta e vendas de Natal deverão crescer após três anos

Pesquisa da CNC aponta que otimismo no setor cresceu 10,6% em outubro; empresariado espera que vendas de fim de ano voltem a apresentar alta

A melhora da atividade econômica, a desaceleração da inflação e a redução dos juros e do custo do crédito fizeram a confiança do empresário do comércio aumentar em novembro. Segundo dados revelados nesta quinta-feira (30) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) o Índice de Confiança do Empresário do Comércio, atingiu 109,3 pontos.

Na comparação com o mesmo período de 2016, a alta do indicador de confiança do comércio registrou alta de 10,6%. Em relação a outubro deste ano, o aumento foi de 1,9%. O crescimento nos indicadores do setor fez a CNC projetar crescimento de 4,3% no volume de vendas de Natal no varejo. Esta é a primeira aposta de aumento no período desde 2014.

Para a assessora econômica da CNC, Juliana Serapio, a melhora da atividade econômica beneficia vem "beneficiando o poder de compra das famílias e impulsionando aos poucos as vendas do comércio. Além disso, existe uma grande expectativa dos comerciantes para as vendas de fim de ano". A percepção dos empresários do setor em relação aos próximos também apresentou melhora.

O Índice de Expectativas do Empresário do Comércio registrou alta de 1,5% em novembro na comparação com outubro. Em relação a novembroi de 2016, o crescimento foi de 1,4%. As perspectivas do setor quanto à evolução da economia também tiveram aumento. Para 82,8% dos entrevistas, a economia apresentará crescimento nos próximos seis meses. Em outubro, o percentual era de 80,7%, e, em setembro, de 78,4%.

 

Intenção de investimento

O levantamento da CNC também destacou que os preparativos do setor para as festas de fim de ano têm impacto positivo no subíndice que mede intenções de investimento. Em novembro, o componente aumentou 0,7%, na comparação com outubro. Quando a comparação com novembro do ano passado é realizado, a alta é de 9,5%.

Segundo a entidade, o crescimento foi registrado, principalmente, por conta da alta na intenção de investir na empresa, que subiu 18,9%. A expectativa do empresariado de contratar mais profissionais teve alta de 7,7%. Já a intenção de investir em estoques cresceu 4,2%. Para 27,4% dos empresários do comércio, o nível dos estoques está acima do previsto. O resultado é 0,4 ponto percentual que o registrado em outubro.

O percentual que indica indica insatisfação em relação ao nível dos estoques tem reduzido e converge mês após mês para a média histórica do indicador de 25%. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) indica as tendências do setor, do ponto de vista do empresário. A amostra é composta por, aproximadamente, 6 mil empresas presentes em todas as capitais do País.